quarta-feira, 5 de junho de 2013

Terminologia religiosa (1)


Marcus Vinícius – Organização.


Religião: Conjunto de crenças, leis e ritos, que dizem respeito a um ser considerado pelo homem como Supremo, do qual se julga dependente e com a qual pode entrar em relação pessoal.

Deísmo: Crença num deus sem atributos morais e intelectuais. Este deus não intervém na criação e também não se manifesta.

Teísmo: Crença num deus, distinto dos outros seres, pertencente a uma ordem transcendental. Ele é o criador do mundo e é o princípio da vida.

Panteísmo: Tudo é deus. A natureza, o universo e deus são a mesma coisa.

Ateísmo: Deus não existe. É o contrário do teísmo.

Animismo: Atribui alma (espírito) a todos os objetos e fenômenos naturais. E estes, em certos casos e em determinadas condições, podem entrar em contato direto com o homem.

Magismo: Afirma a existência de uma força ou poder escondido, superior às forças naturais; certos homens podem apropriar-se dele e assim produzir efeitos extraordinários. Magia branca – a que procura o bem da pessoa, magia negra – a que é usada par prejudicar a pessoa.

Manismo: Culto às almas dos defuntos, para os quais se costuma  oferecer sacrifícios.

Cosmovisão: Concepção do mundo e da vida humana.

Empirismo: A experiência é a única forma de conhecimento.

Totemismo: Crença na existência de um “parentesco” entre uma tribo ou família e uma espécie de animal ou vegetal.
Fetichismo: Culto de objetos materiais, considerados às vezes como encarnação de um espírito, ou, em, ligação com ele, capazes de determinadas virtudes.

Mitologia: História fabulosa dos deuses, semideuses e heróis da antiguidade grego-romana. É também o conjunto dos mitos próprios de um povo, de uma civilização, de uma religião.

Mito: Narrativa de significação simbólica e referente a deuses encarnados das forças da natureza e/ou de aspectos da condição humana. Pode ser entendido também como representação de fatos ou personagens reais, exagerada pela imaginação popular, pela tradição, etc.

Teodicéia: É a especulação filosófica para provar a existência de Deus.

Epifania: Para os gregos significa o aparecimento repentino de uma divindade salvadora.

Teofanias: Manifestação extraordinária de Deus, uma fala de deus, uma aparição dele, sinais pelos quais ele se revela em fatos da história da salvação ou nos seus profetas.

Teogonias: É a geração ou nascimento dos deuses, semideuses e heróis.

Cosmogonia: É a narração do nascimento, a finalidade e o perecimento de todos os seres sob a ação dos deuses.



"O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis." (Fernando Pessoa).

Nenhum comentário:

Postar um comentário